Como reagir com as crianças em casa em tempos de confinamento?

Estamos vivendo dias difíceis, dias que nos obrigam ao confinamento, distanciamento social e muitas pessoas isoladas dentro de suas próprias casas.

Um dia, dois, três podem parecer até agradável, mas com o avançar dos dias, o que parecia legal começa a se tonar chato, as pessoas ficam ociosas e ao ligar a tv ou mesmo na internet as notícias não são animadoras. Se isso é ruim para nós adultos, imagine para as crianças que estão em pleno desenvolvimento e o contato social contribuiu para tal. Que impactos isso pode causar na aprendizagem dos pequenos?

As crianças ficam mais agitadas que o habitual, percebem nossas preocupações e são imaturas para lidar com toda essa situação, mais adiante estudarão sobre os fatos que certamente farão parte dos livros de história, mas agora, elas ainda não compreendem a dimensão da questão e cabe a nós pais, não fazermos terror dentro das nossas casas.

Muitas escolas estão enviando matérias para a casa como forma de manter o mínimo possível da aprendizagem, contudo só haverá relevância se nós pais fizermos a nossa parte. Realize as tarefas com seus filhos de forma organizada e regrada.

Em tempos de confinamentos precisamos compreender que podemos tirar algo de bom desta experiência, busque fazer algo prazeroso em família, culto doméstico, ver um filme, comer pipoca, fazer bolinho de chuva (mesmo que não esteja chovendo), brincadeiras em família, enfim, não se isole dos que estão na mesma casa, a menos é claro por recomendação médica.

Me permitam algumas dicas para os dias atuais:

  • 1- Mantenha uma rotina, criança se sente mais segura quando sabe o que vai acontecer;
  • 2- Crie momentos para estudos sistemáticos, mas cuidado para não sobrecarregar os pequenos;
  • 3- Envolva as crianças nos afazeres domésticos de acordo com sua capacidade;
  • 4- Não faça o isolamento parecer férias com brincadeiras a vontade demais, acordar todos os dias a hora que bem entender, se alimentar como quiser;
  • 5- Cuide da alimentação, comida saudável e preparada em casa;
  • 6- Mantenha-se em hidratado;
  • 7- Separe um momento do dia para brincar com seus filhos;
  • 8- Não podemos perder a fé, em tempos difíceis a fé nos fortalecerá e as crianças também;
  • 9- Envolva seus filhos nos cultos domésticos;
  • 10- Valorize o bem mais preciso que temos, nossa família.

Vamos espalhar um novo vírus?

O vírus do AMOR, sim ele pode contagiar todas as pessoas, vamos voltar nossos olhos para o tempo presente, o que esse vírus (amor) pode fazer para mudar o quadro? Vamos ser solidários com o próximo.

Ficar em casa é uma atitude de amor ao próximo, você não só evita a contaminação, mas a disseminação.

Quando Deus usou seu servo Moisés e Arão para libertar o povo do Egito, foram necessárias que muitas pragas assolassem aquela terra, contudo o nome do Senhor seria glorificado em tempo oportuno. Quero fazer aqui um comentário sobre a décima praga: A Morte dos Primogênitos.

O livro de Êxodo, capítulo 12 e versos de 21 a 30, relata o acontecimento, mas os versos 21 e 23 me chamam atenção, a versão NVI traz o seguinte relato:

21.Então Moisés convocou todas as autoridades de Israel e lhes disse: "Escolham um cordeiro ou um cabrito para cada família. Sacrifiquem-no para celebrar a Páscoa!

22.Molhem um feixe de hissopo no sangue que estiver na bacia e passem o sangue na viga superior e nas laterais das portas. Nenhum de vocês poderá sair de casa até o amanhecer.

Nos dias de hoje, diante da situação que vivemos, a ordem é, ficai em casa.

Então quero aqui abrir um paralelo, se me permitem:

Como passar o sangue do cordeiro nos umbrais atualmente?

Precisamos revestir-nos do sangue do cordeiro que é Cristo Jesus, sangue que foi derramado na cruz do calvário por mim e por você. Devemos buscar a Deus todos os dias, sem cessar, orar e vigiar, para que quando essa situação que temos hoje (me permitam fazer um paralelo com o anjo da morte no Egito), passar, possamos seguir adiante.

Esta é a hora de buscar a Deus de todo nosso coração e aproveitarmos a oportunidade para ensinar nossas crianças que devemos cultuar a Deus em todos lugares e em quaisquer circunstâncias, pois a palavra nos diz em João 4:

23. No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.

24. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade".

Adriana Ribeiro é pedagoga e estudante de Psicologia

Casada, mãe de 2 filhos (André Matheus, 23 e Gustavo, 15).

Membro da Igreja Assembleia de Deus - Belém na cidade de Limeira, SP.

Faço parte da Liderança da UCADLI (união de crianças da Assembleia de Deus do Campo de Limeira).

Trabalho na rede municipal de educação da cidade de Piracicaba, SP a mais de 6 anos, sendo no total mais de 12 anos na área educacional, faço palestra para famílias na área educacional (escolas) e espiritual (igrejas), além do trabalho com crianças no campo de Limeira pela UCADLI.