Como é feita a tradução da Bíblia Sagrada?

Será que a Bíblia que temos hoje contém os mesmos ensinamentos de quando ela foi escrita? Existe alguma Bíblia melhor que outra? Quem traduziu a Bíblia para o português?

Siga as playlists no Spotify: Harpa Cristã / Hinos e Músicas Cristãs


Estas são perguntas interessantes e de grande relevância para os cristãos, afinal, nossa vida é moldada pelo que diz a palavra de Deus e cremos piamente que esta palavra está revelada nos livros que compõe a Bíblia Sagrada.

Como todos devem saber os livros da Bíblia foram escritos originalmente em aramaico, hebraico e grego. Assim, quando você lê um texto bíblico em português, indica claramente que se trata de uma tradução.

Neste artigo, explicaremos como é feito a tradução da Bíblia e outras perguntas relacionadas.

Como é feito a tradução da Bíblia?

Para compreender o processo de tradução é preciso levar em conta duas questões importantes: Os manuscritos de onde é traduzido e a forma de tradução.

Os manuscritos

Como já foi dito acima, os livros da Bíblia foram escritos em hebraico e aramaico (Antigo Testamento) e grego (Novo Testamento), mas os textos originais não foram preservados e o que existem são cópias, algumas delas mais próximas dos originais e outras nem tanto.

Dada a importância desses livros e a cultura de fazer com que um livro sagrado fosse "circulado" ou conhecido por várias comunidades, era comum fazer cópias manuscritas e distribuir essas cópias para outras igrejas ou comunidades. Assim, muitas foram preservadas e outras não. Há muitas cópias que apenas fragmentos.

É desses manuscritos que os estudiosos comparam uns com os outros e formam assim um livro completo. Segundo a SBB, existem hoje mais de 5000 manuscritos, o que torna a Bíblia o documento antigo mais bem preservado.

A forma de tradução

A forma de tradução também é um processo importante, pois esses idiomas originais são bem diferentes do nosso português, sem contar que foram escritos em uma cultura muito diferente da nossa e são muito antigos e esta distância de tempo, pode tornar algumas coisas difíceis das mentes modernas compreender.

Assim, a forma de tradução pode ser basicamente duas: A chamada tradução "formal" e a tradução "dinâmica" ou "funcional".

Sobre a diferenças entre essas duas formas de tradução, a SBB - Sociedade Bíblica do Brasil, explica:

Tradução formal:

Respeita a forma do texto original, conservando a ordem das palavras, traduzindo verbos por verbos, substantivos por substantivos e assim por diante. Traduções como Reina-Valera, King James e Almeida são traduções formais. Além de serem formais, tendem para a linguagem erudita, de difícil compreensão para as pessoas mais simples. Pode-se dizer que, num caso assim, o processo de tradução não está de todo concluído, pois solicita uma grande contribuição do leitor.

Tradução dinâmica ou funcional:

Produz uma tradução que soa natural na língua alvo (no nosso caso, o português). Abre mão da “consistência cega”, deixando de traduzir um termo do original sempre pela mesma palavra em português, pois leva em conta o contexto e o significado que a palavra tem em cada contexto. (Esta maleabilidade justifica o uso da expressão “tradução dinâmica”.) Entende que uma mesma mensagem pode ser expressa de diferentes maneiras, sem perda significativa. Procura ser fiel ao leitor, perguntando sempre se ele entende o que texto que tem diante de si.

Existe alguma Bíblia melhor que outra?

Não. Como explicado acima, há traduções diferentes que usam metodologias diferentes e certamente algumas poderá agradar mais a uma pessoa do que outra. Mas é importante considerar que são diferenças de tradução.

É verdade que há muitas críticas sobre algumas versões que fazer traduções tendenciosas e por este motivo é sempre bom ler o texto bíblico em mais de uma versão, ou usar aquelas que são reconhecidamente boas traduções.

Eu geralmente gosto de ler e portanto recomendo as seguintes versões:

  • NVI - Nova Versão Internacional
  • NVT - Nova Versão Transformadora
  • NAA - Nova Versão de Almeida

Minha igreja usa a versão ARC - Almeida Revista e Corrigida, então por este motivo também leio esta versão, especialmente no ambiente do culto, mas prefiro as versões acima citadas;

No vídeo abaixo, você encontrará uma bos explicação sobre as diferenças de traduções.

Quem traduziu a Bíblia para o português?

Houve tradução de trechos da Bíblia para o português que datam mais ou menos 1300 d.C., mas a tradução completa para o português foi feita por João Ferreira Annes de Almeida, publicada em 1681 (Novo Testamento) e 1753 (Bíblia completa). Na verdade João Ferreira de Almeida não traduziu a Bíblia inteira, já que faleceu em 1691, com isso o trabalho que ele estava realizando foi concluído por um colega holandês chamado Jacobus op den Akker.

A Bíblia hoje

Existem diversas traduções da Bíblia, cada uma teve um propósito em seu tempo e, portanto, é perigoso afirmar que uma tradução é melhor que outra. Para fazer as traduções, os tradutores empenham anos de trabalho e envolve o conhecimento e uso de história, arqueologia, hermenêutica, teologia, antropologia e muita dedicação.

Basicamente as traduções mais conhecidas e usadas pelos evangélicos são:

  • Almeida Revista e Atualizada (ARA)
  • Almeida Revista e Corigida (ARC)
  • ACF - Almeida Corrigida e Fiel
  • Nova Versão Internacional (NVI)
  • Nova Tradução em Linguagem de Hoje (NTLH)
  • NVT - Nova Versão Transformadora
  • NAA - Nova Versão de Almeida
  • A Mensagem (paráfrase)

A Sociedade Bíblica do Brasil é responsável pelas versões ARA, ARC, NAA e NTLH. Ela é uma organização formada por pastores, teólogos e estudiosos e pessoas de diversas denominações evangélicas no Brasil. Sua sede é na cidade de Barueri na grande São Paulo e ela é também responsável pelo Museu da Bíblia, que visitei e expliquei no post deste link.

Fontes:

https://www.sbb.org.br/a-biblia-sagrada/principios-de-traducao/

https://www.sbb.org.br/a-biblia-sagrada/a-biblia-em-portugues/